A FALÁCIA DE UM PRESIDENTE INOPERANTE

O presidente Jair Bolsonaro se posicionou nesta sexta-feira (31) contra a adoção de passaporte vacinal no país e defendeu prescrição médica para a imunização de crianças com vacinas contra a Covid-19. Para especialistas, exigir o comprovante e facilitar a vacinação de crianças de 5 a 11 anos são medidas necessárias para o enfrentamento da pandemia. (G1)

Bolsonaro não perderia a oportunidade de fechar o ano sem antes despejar a sua diarreia de ofensas, injúrias e afrontas. E não poderia ser diferente, visto que ele passou todo o ano, desrespeitando normas, sejam elas sanitárias ou humanas. Mas faz parte de sua personalidade e formação, o desrespeito, a falta de bom senso e a estupidez de julgar a inteligência alheia pela própria.

Negar os benefícios e eficácia da vacina seja para adulto ou para as crianças é um desserviço à sociedade. E vem agora em mente uma pergunta, que serve também como reflexão. Será que os parentes das 619.056 mortos pela Covid-19 não imaginam que se tivéssemos uma única vacina, sem importar a origem, suas vidas e das pessoas que elas amam e viram partir sem a oportunidade de lutar pela cura, não estaria diferente. Será também que são negacionistas e acreditam em outro caminho para se vencer este vírus da morte, que não seja com a vacina?

Seria muito bom se pudéssemos apagar da história do Brasil os quatro anos que está figura nefasta passou desgovernando o país. Mas infelizmente isso não é possível, mas felizmente acreditamos que o mal, não dura para sempre.

Por: Jota Santos

Categoria:COMUNITÁRIA